Dilma Gomes da Silva (rendeira)

Dona Dilma aos 67 anos faz tricô, fuxico, renda e labirinto. Ela contou que hoje é só um passatempo, mas antigamente ela precisava sustentar a família com o que ganhava a partir do artesanato. Ela falou das dificuldades de se ter água antigamente,m pois as pessoas tinham que carregar baldes de água na cabeça para poder tomar banho e beber. Ela lembra que ia bem cedo, todos os dias, até o chafariz que era o único reservatório de água próximo de sua casa. Essa senhora é filha de pescador e que todos os dias ela esperava o pai chegar com a “mistura” do almoço (peixe ou carne). Dona Dilma nos contou também que aprendeu a fazer renda só de ver as amigas de sua mãe fazendo. E ela só tinha doze anos!  Mas Dona Dilma gosta tanto do que faz que e até hoje ela costura junto com as filhas.

Professora Vânia

Colégio Jenny Gomes guarda muitas histórias e memórias a que escolhemos contar foi a da querida professora Vânia. A professora Vânia compartilhou com os participantes do Projeto Patrimônio Para Todos a sua trajetória de vida, suas histórias e memórias sobre o Colégio Jenny Gomes. Contou- nos lembranças de quando era aluna do Jenny e de como se sentia orgulhosa em ser professora na escola onde ela aprendeu os valores para toda sua vida e onde também seus três filhos estudaram. Ela considera a escola Jenny Gomes sua primeira casa, pois disse que passa mais tempo na escola do que na sua própria casa. Falou também da mudança de valores, da diferença de gerações e do amor pelo ofício que exerce.

Dona Júlia – Rendeira

Dona Júlia trabalha fazendo renda desde de quando tinha 5 anos de idade para ajudar a mãe em casa. Apesar da infância comprometida D. Júlia é feliz com o que faz. E é uma mulher guerreira que trabalha com amor e para o sustento. Afirma com orgulho que rendeira é seu ofício, sua arte e o que mais gosta de fazer.

Terceiro dia: Ancurí – tarde

No terceiro dia terminamos a parte teórica da oficina, e demos entra na construção da parte teórica. Finalizamos a cartilha e depois do intervalo houve a listagem dos bem e algumas dicas de entrevistas para os alunos!

Ancurí – 2º dia, tarde

No segundo dia de aula discutimos acerca de patrimônio cultural. No decorrer da aula, percebemos que os alunos estavam atentos a explicação, surgiram várias dúvidas sobre o tema, esperamos que eles tenham assimilado o conteúdo. Começamos a dar uma noção sobre o que irá acontecer nas aulas de campo, como forma de prepará-los a respeito do que estavam por vim. Enfim, esperamos que tudo ocorra bem, e as expectativas são as mais positivas.

Ancurí – Tarde!

No primeiro dia de aula, tentamos utilizar uma metodologia acessível e dinâmica acerca dos conceitos jurídicos, teóricos e práticos relacionados a cultura.Podemos perceber uma determinada carência relacionada ao tema mas, com o passar da aula varias devidas foram levantadas e respondidas pela equipe assim, terminamos a aula com a sensação de que estamos direcionado ao caminho certo.Podemos concluir que as expectativas são as melhores a respeito do resultado final.

A palavra-chave é PARTICIPAÇÃO! – Aeroporto

No dia 27/11 trabalhamos nosso caderno temático sobre a Cultura das Águas. Dividimos em equipes para que todos pudessem participar e contribuir com seus pontos de vista. O resultado? Uma aula incrível onde todos os participantes se apresentaram empoderados e bastante empolgados para o dia seguinte, onde nós iremos começar nossas visitas!

Este slideshow necessita de JavaScript.