Dona Osmarina e os rituais para a rainha Iemanjá

A margem direita do rio é um local da cidade que está se desenvolvendo. Lá, buscamos por Dona Osmarina, moradora do bairro Dom Expedito. Praticante da religião Umbanda,  nos recebe em sua casa e conta suas experiências desde a infância com o espiritismo e diz que respeita também a tradição católica.

Dona Osmarina é famosa na região pelos seus rituais em homenagem a Iemanjá, que antigamente, reunia muita gente.  Mas lamenta que a tradição tem se modificado muito e perdendo presenças.

Canoeiros e Lavadeiras do Rio Acaraú

Costume muito comum das pessoas que moram em torno do Rio Acaraú é ter de atravessar o rio por meio das canoas. Andando em sua margem, encontramos dois canoeiros, um experiente conhecido como Seu Coco – ele exerce a profissão há 40 anos – e Tiago Alves, que bem jovem, aprendeu com os profissionais mais velhos esse ofício quase em via de extinção devido a falta de interesse das novas gerações. Os filhos de Seu Coco estão empregados em firmas e não se interessaram em continuar o trabalho do pai.

Diariamente esses homens realizam essa travessia de uma margem a outra do rio  cobrando apenas algumas moedas por esse trabalho. Essa profissão milenar possibilita um contraste diante da urbanizada margem esquerda do rio. Para Tiago, o ganho com o saber da canoagem é uma ajuda muito grande,apesar de ele ter outra fonte de renda financeira.

Do outro lado do rio, estavam as lavadeiras. Muito tímidas, não permitiram que gravássemos o vídeo. Nos contentamos, portanto, com algumas fotos e uma boa conversa.