Rio Acaraú (Margem Esquerda)

“Tudo flui… Nenhum homem pode banhar-se no mesmo rio por duas vezes, porque nem o homem, nem a água do rio serão os mesmos” (Heráclito de Éfeso)

Essa frase me veio na memória quando eu estava transcrevendo as memórias , os depoimentos que ouvimos e os momentos que passamos nessa aventura através das vivências de gente comum de vida simples, com muita riqueza em história. E como uma mesma pessoa consegue captar elementos tão diferentes de seu meio seu cotidiano no decorrer da vida.

Como participante, para mim esse projeto teve seu maior sucesso principalmente porque os articuladores, professorese técnicos conseguiram demonstrar que nós também somos parte desse patrimônio com nossas lembranças e nossa percepção das mudanças que transformam o lugar num outro lugar.

A primeira entrevistada foi com um membro de nossa equipe, Renata da Silva Gomes, 24 anos, estudante de Saneamento Ambiental do Instituto Federal do Ceará ( IFCE). O local é a Margem Esquerda do Rio Acaraú , um espaço onde se realizam eventos, show, um lugar de muita importância para a jovem que na infância costumava vir com o pai e o irmão para brincar nas águas do rio. Ela lembra com saudade, das brincadeiras de pescar os peixes usando iscas de miolo de pão, mas depois devolver o peixe ao rio, e hoje, esse ambiente é ponto de encontro com os amigos, principalmente na Biblioteca Municipal Lustosa da Costa, próximo dali. E como estudante de saneamento ambiental, acredita que a situação atual de poluição no rio possa ser revertida. Quando perguntada o que o rio representa para ela define assim : “ Ele representa a minha história , onde estão partes da minha vida, e faz parte de quem sou hoje ’’.

(Texto de Natália Estevam, participante do PPT de Sobral)

Zé Tartaruga

O pescador José Mauricio de Sousa, conhecido como o seu Zé Tartaruga, é também um nativo da região. Ele conta o sucesso que tinha com a pescaria antes, mas que hoje a biodiversidade do mangue estar acabando. Seu Zé tartaruga já pescou muito peixe no mar e no rio com tarrafa, anzol e rede, mas hoje tudo estar mais difícil, o rio parece querer secar, o que lhe assegura é a fé em Deus e no mar.

Djalma Perreira de Lima

O nome da quadrilha Tom Gil é dado em homenagem aos seus dois fundadores: Antônio e Gilmar. A quadrilha existe há mais de vinte anos e surgiu junto ao movimento JUJA (Jovens Unidos João Arruda), com a intenção de unir os jovens da comunidade vizinhas que estavam em constante rivalidade.

A quadrilha trabalha com crianças e adultos, e já ganharam vários prêmios de festivais em todo o Ceará, dentre eles o de melhor casamento matuto no ano de 1997.

 

 

 

No passinho de Bastiões

 Hoje começamos as visitas à campo na Comunidade de Bastiões em Iracema e fomos muito bem  recebidos por todos.

Conhecemos pessoas incríveis como a D. Mariquinha, que aos 99 anos se mostra uma mulher forte e de muitas memórias…

Conhecemos também uns garotos muitos talentosos, que revolucionaram a cultura de Bastiões inspirados pela cultura HIP HOP e que praticam o Free Step.

 

 

 

Caixas de Memória da Comunidade Quilombola em Alto Alegre – Horizonte

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=SQ8hu3ulhKU&feature=plcp] [youtube http://www.youtube.com/watch?v=qDx5rMbYXU0&feature=relmfu] [youtube http://www.youtube.com/watch?v=SorLh_LPIMo&feature=relmfu] [youtube http://www.youtube.com/watch?v=lsKO56r_bXY&feature=relmfu]

Este slideshow necessita de JavaScript.

Índios de Almofala contam lendas e histórias de seu povo

Hoje a oficina foi muito interessante! Além das atividades diárias, como estudo da Cartilha –Cadernos Étnicos,  e contextualização do assunto com o vídeo “Pluralidade Cultural”, que mostra relatos sobre qual é a visão da sociedade brasileira em relação ao índio; os participantes da oficina apresentaram os registro de algumas lendase histórias conhecidas na comunidade. Em seguida a turma montou o cronograma de visitas para as aulas de campo, de acordo com as categorias patrimoniais. Cada participante ficou responsável por uma forma de registro: entrevistas, fotos e filmagens, desenhos e textos. Estamos ansiosos para conhecer e compartilhar os patrimônios culturais da Comunidade Indígena de Almofala.

Confira outras Lendas:

http://www.youtube.com/watch?v=hRFSUjkkqwA&feature=youtu.be  Adelina

http://www.youtube.com/watch?v=e5Len57kb1o Alexandrina

http://www.youtube.com/watch?v=hxRGkjBXT40&feature=youtu.be Camila

http://www.youtube.com/watch?v=a-LiDyy2aHo&feature=youtu.be Dalgisa

http://www.youtube.com/watch?v=AaeCaxYLdNI&feature=youtu.be Paulina