A Pedra Encantada – Pajé Raimunda (Caucaia)

Pedra grande, alta e alva, a Pedra Encantada é o símbolo do povo Tapeba, pela qual eles possuem muito respeito, consideração e amor. Pois a pedra é como se fosse um membro da comunidade.
Reza a lenda que da pedra abre-se uma porta, e que dentro dela existe muito ouro. Em cima dela aparece também um galo que canta e uma cobra revestida de ouro. O galo é o príncipe e a cobra a princesa, donos do encanto que a pedra possui.

Para desencantar a pedra e ter acesso ao ouro que existe dentro dela, é necessário que alguém desfaça o encanto derramando um pouco de seu sangue sobre ela, mas até agora ninguém conseguiu.
A pedra nunca mais se abriu e segundo Dona Raimunda, pajé da tribo Tapeba, foi por causa da ambição de uma índia que queria pegar todo o ouro.

Fabiano Silva / Pintura Corporal

Este slideshow necessita de JavaScript.

A pintura corporal é uma tradição da comunidade indígena Tapeba. Ela é utilizada nos rituais como na dança do toré e na dança guerreira. As várias formas de pintura possuem um significado. Os dois peixes namorando, por exemplo, representam a pesca. Assim como as cores utilizadas, o preto representa o luto e o vermelho a luta.   O ato de se pintar também é uma forma de sentirem protegidos ao irem às batalhas, além de valorizar a cultura indígena.

 Há 11 anos, Fabiano Silva, índio Tapeba, trabalha com essa arte, de onde tira sua fonte de renda. Informou que a tinta é feita do jenipapo, mas não revela o segredo de como fazê-la e que aprendeu essa tradição da pintura com seus pais.

Flávio Almeida / Artesanato (Caucaia)

Este slideshow necessita de JavaScript.

Tudo começou em uma oficina de artesanato em que os alunos faziam bonecos de mamulengo esculpidos em madeira, e Flávio, observando-os, arriscou fazer também. De primeira fez um trabalho bem feito e diferenciado, sendo reconhecido pelo instrutor que o incentivou lhe confiando outros trabalhos.

Com o decorrer do tempo, Flávio viu o potencial do trabalho utilizando a palha da carnaúba e do coqueiro, maior parte do material que utiliza nas suas obras.

Hoje, além de trabalhar fazendo suas próprias obras ele ministra oficinas em que tem prazer de ensinar a outras pessoas a técnica de seu trabalho.

Cultura é… (Planalto Caucaia)

Através de uma palavra cada aluno disse o que para eles seria cultura. Além de mandarem muito bem no conceito, eles mostraram que são verdadeiros artistas.

Pinturas corporais (Caucaia – Comunidade Tapeba)

                pinturas corporal

Podemos perceber a riqueza cultural dos Tapebas desde que chegamos a comunidade. A prática de pintar o corpo com tinta de jenipapo esta presente no cotidiano dos jovens. É uma maneira de manterem viva essa tradição, além de um reconhecimento pessoal.

Escola Vicente Arruda no Planalto Caucaia

Nesta instituição nos deparamos com jovens ativos e desinibidos. Todos participaram das atividades e das dinâmicas. O clima da aula foi muito agradável e debate sobre cultura bastante produtivo. Os alunos formaram equipes, discutiram entre si o conteúdo e apresentaram seus pensamentos.

Arte indígena na comunidade Tapeba

Já reparou que as pinturas corporais indígenas, na maioria das vezes são feitas com tintura preta e vermelha?

Hoje, tivemos a oportunidade de saber um pouco sobre isso. Segundo um jovem Tapeba, o preto simboliza o luto e o vermelho representa a luta. Luta pela preservação de suas terras e de sua cultura. Esse costume de se pintar antes de irem às batalhas é uma maneira que eles têm de se sentirem protegidos e assim atingirem seu alvo.

Os desenhos a seguir foram feitos pelos alunos: